domingo, 26 de fevereiro de 2012

Triunfalismo, revanchismo, vingança X Arrebatamento, salvação e, santificação

Meu Deus!!! Está difícil até ouvir programas de rádio ultimamente.

Infelizmente, a minha querida Assembleia de Deus não tem mais nada a ver com aquela de há poucos anos atrás.


A mensagem de arrebatamento, salvação, perdão, arrependimento, santificação, céu e infermo deu lugar à bajulação ao ego, à sentimentos vingativos, rivalidades, revanchismos, discursos alheios ao Evangelho.


Lamentável!!!


Queridos, uma coisa é certa:

"Púlpitos, palcos, plateias, microfones, triunfalismos, massagens ao ego, fãs, aplausos são passageiros: ceu e inferno são eternos"


www.joaozynhocamargo.blogspot.com



Joãozinho Camargo
Membro/músico da Igreja Evangélica Assembleia de Deus de General Carneiro-PR

sábado, 18 de fevereiro de 2012

O show precisa acabar

 A simplicidade e a praticidade do Evangelho são eventualmente mal interpretadas por muitas pessoas, porque a alma humana é por natureza ritualista e mistificada.

O significado do alcance da graça de Deus em Cristo Jesus torna-se insuportavelmente divinos demais, pelo fato de abolir as barganhas, as performances e os rituais humanos. De modo que, na ausência de discernimento, sutilmente o culto que por direito pertenceria a Deus, torna-se de fato um culto a personalidade humana.

Não quero confundir excelência no culto (o que deve sempre ser buscado) com espetáculo religioso (que ovaciona o ego humano). De modo que, pelo fato, de Deus ser excelente, o culto deve ter no mínimo quatro caráter:

1) Caráter espiritual: “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” Jo 4.24

2) Caráter Organizacional: “Mas faça-se tudo decentemente e com ordem.” ICo 14.40

3) Caráter Funcional: Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento.”I Co 14.15

4) Caráter fundamental: “A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao Senhor com graça em vosso coração.” Col 3.16

Dentro desses princípios básicos de um culto a Deus, certamente muitas habilidades, dons e talentos serão perceptivos na congregação cristã, de modo que, é necessária a lembrança de outro principio que também abrange o culto – “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo…” Gl 6.14

Portanto, o culto apresentado a Deus que se manifesta na expressão do espírito em verdade, na exposição da palavra de Cristo, na ordem e na decência, no entendimento, nos cânticos e nos salmos, tem como único alvo a adoração a Deus e a edificação da Igreja de Cristo. Nisto, não existe espaço para a glorificação, exaltação, ou promoção de qualquer personalidade humana.

Porém, infelizmente, muita confusão existe por causa do desconhecimento bíblico do modelo de um autentico culto a Deus. E com isso, o culto passa a dar lugar ao show, entretenimento, espetáculo, e ambiências que descaracterizam o significado de um culto a Deus.

Observo que, o culto essencial a Deus precisa ser resgatado e mantido pela Igreja, enquanto que, o show religioso precisa acabar.

O show das performances humanas precisa acabar, para que, novamente o poder do Espírito Santo possa operar.

O show das palavras de motivação e autoajuda precisa acabar, para que, a palavra de Deus possa gerar arrependimento e mudança nos corações.

O show de lideranças amantes de si mesmas precisa acabar, para que, verdadeiramente pessoas venham ser conduzidas no Evangelho.

O show das experiências mistificadas e pagãs precisa acabar, para que, o Evangelho simples e puro venha transformar vidas.

O show da disputa de poderes institucionais religiosos precisa acabar, para que, a o poder do Evangelho seja a centralidade da vida cristã.

O show das teologias fundamentadas no materialismo e egoísmo precisa acabar, para que, a essência das escrituras possa ser desfrutada e vivenciada na pratica da vida.
O show precisa acabar…e o Evangelho de Cristo, precisa avançar!

Autor

Pr. Samuel Torralbo

Fonte: http://www.samueltorralbo.com.br/o-show-precisa-acabar/

O evangelho do anticristo


É do conhecimento coletivo de quase todos cristãos que a palavra evangelho é oriunda da palavra grega Euangelion, que comumente...


É do conhecimento coletivo de quase todos cristãos que a palavra evangelho é oriunda da palavra grega Euangelion, que comumente era usada para descrever as “boas novas” trazidas por um mensageiro sobre as vitórias ao seu comandante. De modo que, os escritores do Novo Testamento escolheram este termo para descrever as boas novas de Salvação de Jesus Cristo. Porém, o apóstolo Paulo alerta a igreja sobre o cuidado e o perigo relacionado ao “outro evangelho” Gl 1.6. Certamente, Paulo (o apóstolo) estava se referindo a mensagem apostata que sempre assediaria a vida da igreja e que em primeiro plano pareceria conter boas noticias, mas que, em sua essência contrariaria o verdadeiro significado do evangelho de Cristo Jesus.

Um dos modus operandi de satanás sempre foi trabalhar com plagio, imitações para confundir os homens e até mesmo os que foram iluminados pela revelação do evangelho de Cristo. De modo que, dentro do bojo de engano e imitações de satanás encontra-se sua mensagem de apostasia. Infelizmente na pós-modernidade o “evangelho” do anticristo tem encontrado campo fértil para se propagar, uma vez que, muito daquilo que é evangelho do anticristo acaba compreendido como Evangelho de Jesus. A linha que separa a verdade do engano é muito tênue, de modo que, em tempos de apostasia como os dias contemporâneos faz-se necessário o conhecimento essencial do que é o Evangelho de Cristo Jesus e o evangelho do anticristo.

Observe algumas diferenças sutis que determinará o acesso à verdade ou ao engano nesta hora de grande apostasia.

1 – O evangelho do anticristo promove a necessidade da autoafirmação, percebe-se isto, na tentação de Jesus: “Se tu és o Filho de Deus”. Observe que, expressões semelhantes torna-se cada vez mais comum em muitos redutos cristãos – Se você é filho de Deus então tem o direito de reivindicar, declarar, exigir e colocar Deus na parede. De quem é este evangelho?

1 – O evangelho de Cristo promove a afirmação do homem em Deus através da dependência da palavra – “Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito.” Os verdadeiros seguidores do evangelho de Cristo são guiados pela palavra de Deus e nunca por sugestões do diabo, do mundo ou do próprio coração.

2 – O evangelho do anticristo valoriza as necessidades temporais, centralizando toda a vida nas demandas e vontades egoístas do homem – “manda que estas pedras se tornem em pães.” Infelizmente para muitos adeptos do evangelho do anticristo, o milagre está na transformação de pedras em pães, chegando até mesmo atribuir a Deus as realizações de seus feitos milagreiros motivados pela sórdida ganância de seus corações.

2- O evangelho de Jesus é atemporal, não se condiciona as demandas ou necessidades momentâneas – “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Enquanto que, no evangelho do anticristo o milagre é visível e momentâneo (transformação de pedras em pães), no evangelho de Cristo o milagre é no nível da interioridade, onde o espírito humano é saciado pela palavra de Deus e a vida eterna é gerada.

3 – O evangelho do Anticristo é do espetáculo publico, do desrespeito aos limites divinos, do show e do entretenimento religioso – “E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.” Quantas pessoas estão pulando do pináculo pensando estarem num processo de desafios, demonstrações de poder ou espiritualidade exterior que objetiva apenas impressionar o próximo ou a si mesmo em nome de Deus.

 3 – O evangelho de Jesus objetiva em todo tempo ou circunstancias devotar temor e reverencia a Deus – “Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus.”  Enquanto que, o evangelho do anticristo é da performance estética, o evangelho de Cristo é da singeleza de coração e temor integral ao Senhor.

4- O evangelho do Anticristo busca a qualquer custo a glória e o poder humano – “e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.” O evangelho do anticristo objetiva roubar a adoração de Deus através das negociações temporais da vida. A confusão é generalizada quando o homem confunde reino e gloria humana com espiritualidade sadia ou prosperidade divina, enquanto que, de fato está prostrado adorando o príncipe deste século.

4- O evangelho de Cristo Jesus, promove a adoração unicamente a Deus – “Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás.” O evangelho de Cristo ensina que em todos os níveis da existência humana a adoração ao Único Deus Justo e Criador não deve ser negociada, deformada ou manipulada.

5- O evangelho do Anticristo é antropocêntrico, onde o homem é o centro de toda razão existencial. De modo que, o louvor, o culto e a admiração estarão sempre centralizados  no homem. Não é difícil encontrar ambiente de culto “cristão”, onde o foco é o homem com suas necessidades e não mais Deus em sua soberania.

5 – O evangelho de Cristo é Teocentrico – onde Deus em Cristo é o centro de todas as coisas. No evangelho de Jesus, o homem tem a revelação divina, podendo crescer em relacionamento e vida com Ele, expurgando o egocentrismo.

6 – O evangelho do anticristo é o evangelho do reino dos homens – O livro do apocalipse elucida melhor o caráter integral do anticristo através da busca exaustiva do fortalecimento do reino humano na forma dos poderes vigentes da época – “E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio”. (Ap 13. 2) O evangelho do anticristo anuncia que, as leis, a política, a economia, e absolutamente tudo relacionado a vida entre os homens terá como finalidade estabelecer e glorificar um reino humano forte e independente de Deus.  É comum nesta hora observar cristãos sendo embevecidos pela mensagem do espírito do anticristo que anuncia prosperidade material, conforto humano, estabilidade financeira, vida regalada, porém, divorciada da verdade de Cristo e do Reino de Deus.

7 – Em contrapartida, o evangelho de Cristo Jesus é o evangelho do Reino de Deus – “E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.” (Mc. 1.15). O evangelho de Jesus é uma contraversão do reino humano. Enquanto que, o reino dos homens é de aparência, desigualdade, injustiça, pecado, e solidão, o reino de Deus é de amor, paz, justiça, verdade, igualdade, segurança, excelência, e perfeição, onde Cristo governará com equidade e retidão.

Certamente, o momento merece reflexão e sinceridade para que haja uma consciência genuína que declare qual evangelho estamos vivendo e promovendo neste momento de extrema contradição que a humanidade e a igreja enfrentam.

Autor:

Samuel Torralbo


Cristão por adoção, Pastor por vocação, Escritor por paixão. Formado em Teologia pela Faculdade Metodista de São Paulo, Diretor do Instituto Teológico Petra, e fundador do projeto Em Defesa da Igreja, Co-Pastor na Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Casa Verde Alta em Mogi das Cruzes.

Fonte: http://artigos.gospelprime.com.br/o-evangelho-do-anticristo/

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Refletindo sobre as músicas tocadas nos nossos Cultos

Renato Vargens1
 
aaaaHá pouco participei de um culto onde o momento de louvor  com música foi uma pulação só. Depois de  mais de uma hora de muitos gritos, saltos e urros espirituais, o pastor embuido de uma espiritualidade opaca me avisou que o sermão não deveria passar de  30 minutos, isto porque, a hora havia passado e já estava tarde demais. 

Pois é, ultimamente tenho pensado nas canções cantadas em nossas igrejas. Aliás, vale a pena ressaltar que a esmagadora maioria dos denominados cultos evangélicos dedicam muito mais tempo a música do que qualquer outra coisa. 

Infelizmente os louvores cantados em nossas reuniões são extremamente antropocêntricos, o que nitidamente se percebe em nossos encontros congregacionais. Se fizermos uma análise de nossas liturgias chegaremos a conclusão que boa parte das canções que entoamos são feitas na primeira pessoa do singular, cujas letras prioritariamente reivindicam as bênçãos de Deus. Para piorar a situação, as músicas cantadas pelos denominados artistas gospel, nem o nome de Cristo mencionam mais. Veja por exemplo a canção "Tire os pés do chão" do ministério Toque no Altar, que incentiva o crente a festejar, dançar e tirar os pés do chão.
Quem me viu dizia
Não poderá alcançar
Mas sou irresistível
Não vou mais parar
Este é um novo dia
A nova casa é maior
É tempo de alegria posso festejar
Por tudo o que vi, E o que virá.
Vou tirar os pés do chão, E festejar, festejar!!!
O impossível se rendeu. Eu posso dançar, dançar!!!
Diante das muralhas, Eu vou gritar.
Sobre os portões do inimigo, Vou saltar...
Caro leitor, participar de alguns cultos é um verdadeiro desafio, isto porque as canções entoadas em nossos cultos são absolutamente desprovidas de graça. Infelizmente  numa liturgia preponderantemente hedonista, este tipo de evangélico é extravagante, quer de volta o que é seu, necessita de restituição, determina a prosperidade, toca no altar, pede chuva, canta mantras repetitivos erotizando sua relação com Deus, desejando da parte do Criador, beijos, abraços e colo.  

Prezado amigo, sem sombra de dúvidas vivemos dias complicadíssimos onde o Todo-poderoso foi transformado em gênio da lâmpada mágica, cuja missão prioritária é promover satisfação aos crentes. Diante disto, precisamos orar ao Senhor pedindo a Ele que nos livre definitivamente desse louvor, filho bastardo da indústria mercantilista gospel, o qual nos tem nos empurrado goela abaixo, conceitos e valores anticristãos cujo objetivo final não é a glória de Deus, mas satisfação dos homens.

Definitivamente a coisa está feia! Minha oração é que o Senhor nosso Deus nos reconduza a uma adoração cristocêntrica extirpando das nossas liturgias essa pulação inconsequente que em nada contribui para o engrandecimento do nome do Senhor.

Soli Deo Gloria! 

1 Renato Vargens é Pastor, conferencista internacional, plantador de Igrejas e escritor  com doze livros livros publicados e dois no prelo. É também Diretor da Scrittura Produções, colunista e articulista de revistas, jornais e diversos sites protestantes, editor do site http://www.renatovargens.com.br e pastor presidente da Igreja Cristã da Aliança em Niterói. 
 

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Minhas produções - Harpa Cristã Instrumental


Protestante, músico, instrumentista, professor da Escola Bíblica Dominical da Assembleia de Deus em General Carneiro - Paraná.

Na vida profissional secular, Professor de Geografia da Rede Estadual de Ensino do Estado do Paraná.

Nas horas vagas, alem de estudar a Palavra de Deus, orar, gravo canções, principalmente da Harpa. Nada profissionalmente, mas para louvar a Deus por todos os seus benefícios que me tem feito.

"Porque o Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre" ( Salmos 106:1)

Eis algumas:


Arranjos: Joãozinho Camargo
Instrumento: Arranjador Yamaha Tyros 4
Tipo: Sem fins comerciais
Canal: www.youtube.com/joaozynhocamargo
Palco I: www.palcomp3.com/joaozinhocamargo
Palco II: www.palcomp3.com/joaozynhocamargo
 
Os guerreiros se preparam (2012)

A mensagem da Cruz (291)

O bondoso amigo (200)

Vencendo vem Jesus (525)

Alvo mais que a neve (039)


Ao abrir o culto (243)

Lugar de delícias (202)

Lugar de delícias II (202) - órgão

Sobre as ondas do mar (467)


Oração pela pátria (634)

Vem cear (301)

Os guerreiros se preparam - v2 (212)

Terra feliz (614)

Canta minh'alma

Vem à Assembleia de Deus (144) - Banda


Vem à Assembleia de Deus (144) II


É o tempo de segar (224)


O Senhor da ceifa chama (127)


Os guerreiros se preparam (212) - (Pop Rock)


A ovelha perdida (156)


Consagrado ao Senhor (432)


Deus amou de tal maneira (227)


Grandioso és tu (526)


O rei está voltando (547)


Conta as bênçãos (564)

Alma abatida (193)

Nome precioso (531)


Na Rocha Eterna firmado (258)


Cristo pra mim (037)


O exilado (036)

Ao passar o Jordão (509)


Oh! Jesus me ama (169)


Vem ó pródigo (076)

Meus pecados levou (484)



Cristo, fiel amigo (008)

Deus é fiel

o exilado (36)

Terra feliz (614)


Conversão (015)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

“Pregadores playboys”

O Pastor Samuel Torralbo (foto) co-Pastor na Igreja Evangélica Assembléia de Deus – Casa Verde Alta em Mogi das Cruzes. Publicou em seu site um artigo onde compara os Pregadores da Palavra de hoje com os mais antigos. Clique, leia o artigo e comente… Em artigo intitulado ” Aumento de Pregadores, e diminuição da Palavra?” o Pastor Torralbo faz uma critica aos pastores atuais os chamando de “Pregadores playboys” e afirma que na sua infância este tipo de pregador do evangelho não existia pois “Naquela época, ninguém queria ser pregador, porque significava sofrimento, perseguição, contradição, escassez e padecimento pela causa do evangelho.”
Leia na integra o post do pastor e comente…
“Lembro-me, na minha infância, que pregadores do evangelho que viviam em tempo integral para o ministério era uma raridade. Trago em minha memória o que significava receber um pregador desses na igreja em que congregava, normalmente eram referências de homens de muita oração, santidade, piedade, palavra, integridade e compromisso com Deus. Naquela época, ninguém queria ser pregador, porque significava sofrimento, perseguição, contradição, escassez e padecimento pela causa do evangelho.As coisas mudaram drasticamente de alguns anos pra cá. Mudou, porque hoje para muitos, o oficio da pregação se tornou status, meio de vida, glamour, e auto promoção pessoal.
Mudou, porque a dez anos atrás no meio evangélico (pentecostal) um pregador de sucesso era aquele que orava com disciplina, pregava com verdade, imparcialidade e integridade. Sua vida privada quando descoberta revelava idoneidade, fidelidade, santidade e entrega devocional a Deus. Hoje lamentavelmente o modelo de sucesso para muitos, são pregadores playboys, milionários, com dezenas de carros, retocados com lipoaspiração e plásticas faciais. É triste o cenário.
Não é difícil identificar esses modelitos ambulantes em muitos púlpitos pelo Brasil, com os mesmos estereótipos, jargões, heresias, lascívia, mentira, visando unicamente o beneficio do seu próprio ventre.
Em conluio com essa classe de lobos, que ultimamente nem se preocupam tanto em se disfarçarem de ovelhas, encontra-se uma liderança avarenta, materialista e carnal. Dividem oferta, negociam o povo, vendem amuletos, promovem campanhas incabíveis, e manipulam o sagrado.
A teologia deles é a do ventre, de modo que, censuram aqueles que estudam a bíblia e possuem uma fé ortodoxa, banalizam os fundamentos hermenêuticos da interpretação bíblica, fazendo do texto sagrado uma formula mágica e mística descontextualizada.
Meu lamento não é maior porque sei que este modelo desafeiçoado e corrupto tem prazo para acabar. Daqui a pouco Jesus entra no templo e expulsa novamente esses cambistas, comerciantes e vendedores da religião. Aos poucos as pessoas vão se cansando e despertando para a realidade e assim discernindo o engano.
Minha alegria em contraposição deste cenário é observar uma sutil, mas real e crescente fome por muitos cristãos pela autentica palavra de Deus.
É verdade que o aumento da comercialização, banalização, e toda sorte de agressão ao verdadeiro evangelho de Cristo é um fato na pós modernidade, mas também é perceptível o aumento principalmente de lideres (jovens) comprometidos com os fundamentos da fé crista.
Espero em breve assistir, a falência dos charlatões da religião, enquanto vejo o povo de Deus clamando como Israel fez no retorno do cativeiro: “Tragam o livro” (Ne 8.1)
Acredito que, ainda na minha geração verei um reavivamento no púlpito, onde as escrituras será o modelo desejado por todos. Onde, os televangelistas não serão vendedores de campanhas consagradas, óleos ungidos, livros com mágicas evangélicas, mas pregarão o arrependimento dos pecados, a salvação e a esperança da glória em Cristo. E por fim, o crescimento da igreja e da propagação do evangelho serão sentidos com o crescimento do anúncio das escrituras sagradas.
Oração: Perdoa-nos Senhor, e torna-nos a dar um coração reto e puro, que haja em nós o mesmo sentimento que existiu em Cristo Jesus, a mesma chamada que ardeu em Paulo, e a mesma entrega que existiu nos profetas. Amém…”

Fonte: http://www.odiario.com/blogs/inforgospel/2012/02/02/pregadores-playboys-diz-pastor-referindo-se-a-pastores-atuais-comparado-ao-antigos/